Foda-se

Foda-se, eita palavra libertadora essa! Ela é curta, grossa e até didática. Qualquer um pega no ar e logo entende. Pena que somente há pouco tempo, ela se popularizou e chegou até mim. Aliás, como dizem meu bebês, eu sou um pouco lento para pegar as novidades…

No meu tempo ( tentei substituir por “quando eu era jovem “, mas ficou pior… ), o Foda-se era o Foda-se mesmo, do tipo raiz, com graves implicações e até risco de morte. Hoje o Foda-se ou Ligue o Foda-se se tornou uma frase de libertação cult. O pessoal é tão criativo que agora tem também a Lei do Foda-se e se superaram com o Desfoda-se!

Parece que quando você fala Foda-se em voz alta e bom tom, o seu alter ego e o mundo, que antes eram indiferentes a você, param o que estavam fazendo, o reparam e o levam a sério.

Provavelmente os psiquiatras e também os psicólogos, já estão prescrevendo o Foda-se para os pacientes que tem a autoestima baixa, com excesso de passado sobretudo. Eles receitam a eles:

“Apertar o Foda-se uma vez ao dia, durante um mês, pela manhã preferivelmente. “

Ao ler o receituário, o paciente contesta:

” Mas doutor, só o Foda-se será mesmo suficiente? Nenhum remédio à base de agomelatina ou amitriptilina, nem as mais fraquinhas, como fluoxetina e fluvoxamina para acompanhar? ”

” Não, vamos tentar somente o Foda-se por enquanto. Eu tenho tido resultados maravilhosos com meus pacientes. Fique tranquilo e comece a usá-lo hoje ainda se possível. Na primeira semana você já sentirá os resultados, creia em mim.”

No início, confesso que fiquei meio ressabiado com a etimologia do Foda-se, um tanto ofensiva, imprópria ou mesmo chula, mas depois eu percebi que ele poderia ser usado como uma camiseta Hering branca de algodão Pima unissex, que combina com muitas roupas e situações. Aí eu pensei, por que não usá-lo?

A seguir duas situações hipotéticas em que o Foda-se pode ser aplicado:

  • Edenil, depois de entregar ótimos resultados na empresa, ser muito elogiado pelos pares e chefes de outras áreas, foi preterido numa promoção de uma nova gerência. Seu chefe Luís, preferiu dar a promoção ao Leandro, um colega notoriamente puxa-saco que canta como a soprano Montserrat Caballet quando ele eventualmente bota um ovinho minúsculo de codorna. Edenil por sua vez, nem tem energia para cantar ao botar seus ovos porque são sempre daqueles de duas gemas, tipo jumbo. Então, depois de perder uma semana da sua vida remoendo a injustiça sofrida, Edenil grita ao chefe: Foda- se, tô pedindo a conta! “
  • O casamento de Ana e Afonso foi marcado há um ano na Basílica de Nossa Senhora de Lourdes, a igreja mais disputada de BH para casórios. O salão de festas foi reservado, o buffet caríssimo 500 reais por cabeça já foi pago, o vestido de noiva daqueles bem frufru já foi provado e ajustado diversas vezes. Os presentes dos convidados já lotam o hall do apartamento dela. Mas Ana ainda tem dúvidas do seu amor por Afonso. Para piorar, o Rui, aquele seu primeiro grande amor do passado não sai da cabeça dela. … à véspera do casamento, ela toma coragem e diz a Afonso: Foda-se, eu não vou mais casar com você Afonso! “

O Foda-se é normalmente o primeiro passo para sair da inércia, mas que vale muito. Não tem um visionário que disse um dia que uma longa caminhada sempre começa pelo primeiro passo? Lembrei agora de uma passagem muito interessante, bom pelo menos eu acho, que ilustra bem esse ponto.

Era uma sexta feira já à noitinha de um dia muito movimentado no aeroporto de CNF. Eu tinha acabado de desembarcar do avião, muito feliz por chegar em casa depois de mais uma semana de trabalho em São Paulo. Todos os passageiros saíram em fila indiana do finger e continuaram assim em direção à escada rolante, que dá acesso ao saguão de desembarque.

Ao chegar no topo da escada rolante, uma moça loira de uns 30 anos, de salto alto e muito elegante, que estava logo à minha frente, subitamente parou e ficou por alguns segundos absorta, contemplando as placas da escada rolante passarem à sua frente, completamente paralisada.

Antes que os outros passageiros começassem a reclamar, o que não demoraria muito, me arrisquei e segurei os dois ombros dela com as minhas duas mãos e perguntei:

” Posso? ”

Sem olhar para trás, ela respondeu: ” Pode! ”

Então eu dei um leve empurrão na garota, que foi obrigada por sua vez a dar o primeiro passo para não cair e assim finalmente apoiou o seu pé direito numa placa aleatória da escada que estava em movimento. Ela literalmente pegou no tranco!

Em seguida, ela se virou para trás, olhou para mim e agradeceu a minha ajuda com um sorriso.

Muitas vezes, precisamos desse tranco na vida para criar coragem e dar o primeiro passo para a mudança, aí que o Foda-se entra! E olhe que legal, ainda por cima, o danado é gratuito e não tem contra – indicações.

Se você não gostou desse texto, achou pesado demais ou até ofensivo e por isso não vai curtir e tampouco compartilhar com seus amigos, eu lhe diria:

” Não gostar do que acabou de ler é um direito seu e um risco inerente do escritor! Vida que segue. “

Rui Sergio Tsukuda – setembro/21

https://aposenteidessavida.com/

2 comentários em “Foda-se

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: